Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico
Usuário
Senha

Notícias

Newsletter

Nome:
Email:

Colapso em Manaus: Oficiais de Justiça garantem que oxigênio chegue a pacientes

A atuação dos Oficiais de Justiça tem contribuido para que os cilindros de oxigênio cheguem aos pacientes internados por COVID-19 na capital do Amazonas. O estado enfrenta um colapso no sistema de saúde por falta de oxigênio em hospitais de Manaus, que estão lotados por conta do aumento recorde de internações. A falta de oxigênio fez com que hospitais da capital amazonense acionassem a Justiça para que as empresas cumprissem os contratos e mantivessem o fornecimento do produto. Nos últimos cinco dias, os Oficiais de Justiça cumpriram persos mandados para que a entrega dos cilindros de oxigênio fosse restabelecida. Trabalhando na linha de frente, Máximo Soares de Sena, que é Oficial de Justiça há 14 anos, sabe que está arriscando a própria vida e dos seus familiares. “Num momento terrível dessa infecção, é triste, mas a sociedade agora está percebendo a importância das decisões judiciais e do trabalho feito pelos Oficiais de Justiça dessa forma. Nosso trabalho tem salvado vidas”, destacou. Acima, Oficiais de Justiça dando cumprimento a uma ordem judicial para apreender cilindros de oxigênio e destinar a paciêntes em estado grave pela Covid-19. Abaixo, os cilindros de oxigênio apreendidos. A exposição também tem feito vítimas entre Oficiais de Justiça. Segundo Máximo Soares, dos cerca de cinquenta colegas que atuam na linha de frente em Manaus, mais de quinze contraíram o estágio grave da Covid-19. A presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça do Amazonas, (Sindojus-AM), Marieda Rodrigues, criticou a falta de testagem para os Oficiais de Justiça. “Cinco Oficiais de Justiça já perderam a vida. Estamos trabalhando em meio ao caos e a categoria não consegue parar de trabalhar. Estamos na linha de frente. Para piorar, o Tribunal de Justiça não está realizando testagem para que possamos monitorar os colegas”, afirmou. De acordo com Marieda, a secretaria de Saúde do Estado do Amazonas atendeu um pedido feito pelo sindicato e forneceu 140 testes (tipo IgM e IgG). Desde então, a Entidade vem buscando enfermeiros ou médicos que possam aplicá-los. O Setor de Saúde do Tribunal de Justiça do Amazonas informou que seus funcionários não sabem como realizar os exames e se recusam a fazer o treinamento. “Como todas as unidades de Saúde estão colapsadas aqui em Manaus, nós também não conseguimos contratar enfermeiros, porque não há ninguém disponível”, explicou a presidente do Sindojus-AM. O presidente da AOJESP, Mário Medeiros Neto, também falou sobre a atuação dos Oficiais de Justiça durante a pandemia e a falta de apoio por parte dos tribunais. "Chama a atenção a falta de cuidado e despreparo com que os Tribunais nos estados têm tratado os Oficiais de Justiça, a sua linha de frente, aqueles que não deixam a Justiça parar, que concretizam as determinações judiciais, porque se o judiciário se restringisse apenas a trabalhos de gabinete, que não é menos importante, a sociedade não sentiria os efeitos reais, concretos, da importância do funcionamento do Poder Judiciário nesses momentos de caos, de calamidades. Além de contribuir para a garantia de oxigênio para os hospitais, no caso de Manaus, os Oficiais de Justiça cumprem determinações liberando leitos para o SUS em hospitais privados, estando totalmente expostos ao risco de contágio em razão de sua função essencialmente externa, pessoal,de contato. O risco da função é permanente. A função é extremamente relevante para a sociedade. São heróis anônimos. O Judiciário precisa valorizar mais esse profissional, dedicar mais cuidado; é de sua inteira responsabilidade. Acorda STF! Acorda CNJ! Acordem Tribunais!", acrescentou Mário Medeiros Neto.
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia